21 2461-0300

Vai comprar um carro? Veja algumas dicas para fazer um bom test-drive

Vai comprar um carro? Veja algumas dicas para fazer um bom test-drive

Por: Gabriela Rabinovici

Na hora de comprar um automóvel, novo ou usado, muitos consumidores levam em conta a beleza, os equipamentos e, na teoria, o desempenho, mas esquecem de uma prática superimportante: realizar o test-drive no modelo desejado.

No Brasil, pouco mais da metade dos compradores de carros novos dispensam o teste, porque não querem ou porque o vendedor não oferece essa possibilidade, mas é importante saber que este é um direito de todo consumidor e é muito útil para aferir a dirigibilidade e o estado geral de funcionamento do veículo.

Para tirar o máximo proveito do test-drive, siga essas dicas:

– Verifique o conforto do interior do veículo. Ajuste os bancos e veja se a altura é adequada, se as pernas não esbarram no volante, se os equipamentos estão em ordem, se a maleabilidade do volante é boa e se os estofados e painel possuem bom acabamento. Aproveite para experimentar o conforto dos bancos traseiros e do carona;

– Teste todas as aberturas de portas, sem se esquecer da tampa do porta-malas, porta-luvas, porta-trecos, além de todos os acionamentos dos vidros;

– Mexa na central multimídia, pareie seu celular pelo bluetooth e faça uma ligação, coloque um endereço no GPS para ver como funciona, teste o som, pergunte sobre como liga e desliga cada item e confira se há entrada USB;

– Antes de dirigir, acione o aquecimento e depois ligue o ar-condicionado no máximo para verificar a força do sistema de ventilação e observar possíveis ruídos;

– Combine, diretamente com o vendedor, o tempo de duração do test-drive. Muitas concessionárias oferecem apenas algumas voltas em quarteirões próximos, mas o ideal é que você faça o teste por ruas com asfalto irregular, lombadas e curvas. São essas situações que mostram como o carro se comporta de verdade;

– Desligue o sistema de som e já no trajeto esteja atento aos comandos dos pedais. Veja a resposta da aceleração, o tamanho da embreagem (caso seja um carro manual), como o freio trabalha e o tempo de troca de marcha. O correto é sentir-se seguro na direção;

– Faça uma baliza e manobras comuns de estacionamento, girando o volante todo para um lado para ver se ele faz uma curva muito aberta ou mais fechada (verificando assim o diâmetro de giro). Se o carro tiver sensor de estacionamento ou câmera de ré, avalie se o sistema é bom ou não;

– Deve-se obter um bom feedback por meio do volante sobre o que o carro está fazendo na estrada, pois alguns sistemas de direção dão a sensação de estarem desconectados das rodas;

– No caso de um carro usado, cheque tudo o que se verifica num novo e mais um pouco, incluindo condições gerais de rodagem e desgaste de algumas peças.

Leia mais:

Como praticar a direção defensiva em condições adversas de tempo:

http://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/como-praticar-a-direcao-defensiva-em-condicoes-adversas-de-tempo/

Saiba a diferença entre direção hidráulica, elétrica e eletrohidráulica:

http://www.widmen.com.br/dicasautomotivas/saiba-a-diferenca-entre-direcao-hidraulica-eletrica-e-eletrohidraulica/

Carlos

Open chat